Quem procura autopeças encontra o que precisa na DISPEMEC

Há mais de 30 anos a DISPEMEC atende às necessidades de clientes que não abrem mão de qualidade, praticidade e segurança na hora de comprar autopeças.

Acesse agora

Posts para » lei

Nova CNH: documento terá formato de cartão e chip integrado

blog dispemec

Apesar de ter passado por mudanças recentes, a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) irá ganhar um novo formato.

Segundo o Contran, a partir de janeiro de 2019, o documento de papel ficará de lado e a carteira passará a ser emitida em forma de um cartão plástico e irá conter um chip.

O principal objetivo destas mudanças é aumentar a segurança dos motoristas e evitar possíveis fraudes do documento. As informações básicas do condutor serão inseridas no chip, o que irá garantir a autenticidade e agilizar o acesso dos agentes e órgãos de trânsitos.

Novas funções

A intenção também é ampliar o uso da CNH para outras atividades, como o pagamento de pedágios e transportes públicos e até mesmo para o controle de acesso a universidades, prédios públicos, estacionamentos, entre outros.

Todos os órgãos e entidades executivas de trânsito terão até o dia 1º de janeiro para adequar seus processos para a chegada da nova CNH.

E aí, o que você achou destas mudanças?

Até a próxima,

Equipe Dispemec.com

 


Perigo no trânsito: mais de 50% dos brasileiros usa o celular ao dirigir

blog dispemec

Uma pesquisa feita pela Arteris, uma das maiores companhias do setor de concessões rodoviárias do país, revelou que 51,9% dos entrevistados usa o celular enquanto dirige.

A empresa ouviu 2.686 pessoas, das cinco regiões do país e percebeu que o maior percentual foi na região sudeste, entre os motoristas de 18 a 21 anos.

A pesquisa mostrou que, mesmo cientes da legislação e dos perigos que a atitude podem causar, muitos motoristas continuam mexendo no celular. De acordo com as estimativas da OMS (Organização Mundial de Saúde), esse tipo de atitude contribui para que, aproximadamente, 140 pessoas percam a vida em acidentes de trânsito, a cada hora.

Lei

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, mexer no celular enquanto dirige é considerada uma infração gravíssima e o motorista fica sujeito a perder 7 pontos na CNH e a levar uma multa de R$293,47.

 

Até a próxima,

 

Equipe Dispemec.com


Leis contra som automotivo em excesso geram dúvidas nos motoristas

carro_som

Os apaixonados por som automotivo nas alturas estão passando por momentos difíceis. Desde outubro de 2016, por meio da resolução 624 do CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito), os agentes de fiscalização de trânsito não precisam mais de um aparelho específico para autuar motoristas que estão trafegando com o som do carro em volume excessivo.

Antes era necessário que o agente de trânsito utilizasse um decibelímetro a sete metros do veículo para comprovar que o som ultrapassava o limite de 80 decibéis. Agora, essa fiscalização pode ser feita “de ouvido”.

A resolução do CONTRAN determina que “fica proibida a utilização, em veículo de qualquer espécie, de equipamento que produza som audível pelo lado externo, independente do volume ou frequência, que perturbe o sossego público, nas vias terrestres abertas à circulação”.

O descumprimento gera infração grave, com multa de R$195,23 e ainda cinco pontos na carteira de habilitação. Segundo o artigo 228 do Código de Trânsito Brasileiro, poderá ainda haver a retenção do veículo para regularização.

A lei gerou muita discussão entre os apaixonados por som automotivo, já que o conceito de “perturbação do sossego público” é muito amplo e pode ser entendido de diferentes maneiras por cada agente de trânsito.

No estado de São Paulo, a regulamentação é ainda mais rígida: multa de R$1.000,00 para o motorista autuado, sendo que o valor será dobrado em caso de reincidência em período inferior a 30 dias e quadruplicado a partir da segunda reincidência em menos de dois meses.

Na dúvida, especialistas recomendam que os motoristas escutem suas músicas com as janelas do carro fechadas, sem que o som possa ser ouvido no exterior do veículo.


Câmara aprova fim da multa para quem esquecer CNH

blog dispemec

A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados, aprovou no dia 21 de junho o projeto de lei que barra a multa e apreensão do veículo, para quem esquecer a CNH.

Mas calma, não vai sair por aí sem a sua documentação, pois a decisão ainda irá seguir para o Senado e, se algum deputado discordar, será levada para o plenário da Câmara.

O projeto, que é foi uma proposta inicial da ex-deputada Sandra Rosado e da atual deputada Keika Ota, do PSB, prevê que o agente de trânsito deverá checar as informações do veículo e do motorista por meio de consultas no banco de dados digital.

Se as informações necessárias não forem encontradas, o motorista terá até 30 dias para apresentar seus documentos para o órgão responsável e provar que o veículo está regularizado.

Mas enquanto isso, a lei original ainda é válida: quem for pego sem os documentos obrigatórios, pode receber uma multa de infração leve no valor de R$88,38. Então não esqueça seus documentos, os mantenha sempre em um local seguro do carro ou da sua carteira.

 

Até a próxima,

 

Equipe Dispemec.com


Conheça os defeitos intrigantes do sistema eletrônico do motor

dicatec_blog_dispemec

Todo carro é composto por diversos sistemas eletrônicos, que às vezes podem apresentar falhas. Conheça os intrigantes defeitos dos sistemas eletrônicos do motor (fabricados pela Magnetti Marelli) dos veículos com as seguintes descrições das Centrais de Injeção:  

  • IAW 4AVP e IAW 4GF, utilizado pela Volkswagen;
  • IAW 4CFR, utilizado pela Ford;
  • IAW 4AF, IAW 4DF e IAW 7GF, utilizados pela Fiat.  

Os defeitos neste tipo de sistema começaram a aparecer no mercado de reparação automotiva em 2003. Inicialmente, quando o sistema está com um problema, podem aparecer alguns sinais no funcionamento do motor e até mesmo uma anormalidade nas luzes de sinalização, ou o problema pode ser silencioso e não dar indícios de falha.

Segundo mecânicos, os modelos da Volkswagen não apresentaram o defeito registrado na memória da Central Eletrônica com frequência, mas quando acontece, muitas vezes o sistema inteiro é trocado e o defeito persiste.  

Os modelos da montadora Ford com o sistema IAW 4CFR são os mais resistentes ao defeito, mas quando apresentam a falha, o sintoma mais comum é a queda repentina da alimentação positiva ou negativa e interrupção brusca da bateria ou da Central Eletrônica. Quando as luzes começam a indicar o problema, é visível a diminuição da força do motor em alta rotação, o que gera um código de falha na memória da Central Eletrônica – P1300, conhecida como falha na adaptação da roda fônica ou sincronismo.

Já os modelos da Fiat com o sistema Marelli, que são utilizados no Uno e no Pálio, são os que mais apresentam o sinal nas luzes. Muitas vezes podem indicar problemas na correia dentada ou na queda de tensão, quando na verdade é o sistema eletrônico.

Mas é importante ficar atento aos sinais que o carro e as luzes de sinalização dão e procurar um especialista, que irá fazer um escaneamento correto do veículo.

Fonte: Dicatec


Som alto no carro pode dar multa sem medidor de decibéis

multa para som alto

Além das mudanças nos valores das multas, outra novidade é que agora o som alto no carro pode ser considerado como infração, sem precisar ser medido. A Resolução nº 624 foi aprovada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) no dia 19 de outubro e já está valendo.

Antes, o artigo 228 do Código Brasileiro de Trânsito aceitava um limite de até 80 decibéis a uma distância de 7 metros e de 98 decibéis a uma distância de 1 metro. A medição era feita com um aparelho chamado decibelímetro.

Com a nova resolução, a infração continua sendo grave, ou seja, o motorista pode perder até 5 pontos na carteira e receber uma penalidade de R$ 195,23. A diferença é que o som não precisará ser medido para ser considerado como perturbação do sossego público. Basta o som poder ser ouvido com o vidro do carro fechado para ser considerado uma infração.

Mas, ao ser multado, o agente de trânsito deve registrar, no campo de observação, qual foi o critério usado para constatar que o motorista está infringindo a lei. O som de alarmes, sirenes, veículos de publicidade com caixa de som, buzinas e carros de competição e entretenimento em locais permitidos continuam não sendo válidos para essa resolução.

Fique atento ao volume do som do seu carro e até a próxima!

Equipe Dispemec.com


Multas de trânsito irão aumentar a partir de 1º de novembro

ab1ca224ca79bc4dd238843b0d7148a4ebf5e2231d7219bfddpimgpsh_fullsize_distr

As multas previstas pelo Código Brasileiro de Trânsito irão sofrer um aumento de até 66%, a partir do dia 1º de novembro deste ano. Os valores das infrações leves irão chegar a até R$ 88 e as infrações gravíssimas, R$ 293,47.

A medida foi aprovada no dia 5 de maio pelo Governo e teve um prazo de 180 dias para entrar em vigor. As multas não sofriam um reajuste desde 2000. Em 2002, os valores foram fixados e apenas algumas infrações, consideradas muito graves, tiveram pequenas alterações. O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) ainda poderá fazer correções nos valores anualmente, baseando-se no reajuste máximo dado pela inflação do ano anterior.

A partir de novembro, as infrações leves terão um aumento de 66% e passarão de R$ 53,20 para R$ 88,38. As infrações médias e graves irão aumentar em 52%, passando de R$ 85,13 para R$ 130,16 e de R$ 127, 69 para R$ 195,25. Já as multas consideradas gravíssimas irão sofrer um aumento de 53%, passando de R$ 191,54 para R$ 293,23.

Além dos valores, algumas violações serão agravadas. Como o uso do celular ao volante, que passa de uma infração média, para gravíssima. A nova lei ainda cita que o motorista será multado por segurar ou manusear o aparelho celular.

tamanho-correto

Multas gravíssimas

Já as violações mais sérias, consideradas gravíssimas e que podem ser multiplicadas por 10, irão passar a valer R$ 2.934,70. E são aplicadas para motoristas que são pegos disputando rachas, forçando ultrapassagem em estradas, que se recusa a fazer o teste do bafômetro, exame clínico ou perícia. Se o motorista for reincidente em menos de um ano, a multa pode ainda ser dobrada e chegar a R$ 5.869,40.


Farol ligado vs bateria

farol

Não é nada legal quando você vira a chave na ignição do carro e ele não quer ligar, não é mesmo? Aí você se pergunta: o que há de errado? Isso é o que acontece normalmente, quando você esquece o farol ligado por algum tempo, antes de voltar para o carro.

Com a nova lei que entrou em vigor em Julho/16, o uso de farol baixo em rodovias brasileiras é obrigatório e muitos condutores têm dúvidas sobre o impacto disso sobre o funcionamento da bateria. Por isso, vamos te ajudar a entender melhor sobre isso!

Se o seu carro não veio de fábrica com o sistema de alerta que mostra que o farol está ligado, saiba que já pode ser instalado em uma oficina mecânica de sua confiança. Ele funciona como um dispositivo temporizador ou relé auxiliar, responsável por desligar o farol junto com a ignição.

Como funciona o relé auxiliar?

O relé auxiliar está presente no seu carro. Seja ao acionar o limpador de parabrisa, controlar a temperatura do ar condicionado e até no funcionamento da seta e pisca-alerta. O relé tem várias funções e essas são as mais específicas.

O uso do farol durante o dia interfere na vida útil da bateria?

Não interfere por causa do alternador. É uma peça fundamental, que alimenta o sistema de carga sempre que o veículo entra em funcionamento. Caso venha a parar de funcionar, a bateria continua carregada e o carro pode andar por mais alguns quilômetros.

Entenda melhor sobre o alternador nesse episódio do Mecânica Fácil: 

E veja nesse post quais são os principais problemas que podem afetar a bateria do seu carro.

Um abraço e até a próxima!

Equipe Dispemec.com