Quem procura autopeças encontra o que precisa na DISPEMEC

Há mais de 29 anos a DISPEMEC atende às necessidades de clientes que não abrem mão de qualidade, praticidade e segurança na hora de comprar autopeças.

Acesse agora

Posts para » freio

Freios a disco: saiba a diferença entre cada tipo

blog dispemec

Todo mundo sabe para que funciona o freio, mas e o disco do freio, você conhece as funcionalidades?

Essa peça, que fica presa ao cubo da roda, é comprimida pelas pastilhas, para gerar o atrito necessário para fazer todo o sistema funcionar e frear o veículo.

Os discos também são responsáveis por distribuir o calor que vem das frenagens, para que as pastilhas e o próprio disco não sejam superaquecidos e tenham dificuldades para funcionar. É aí que surge as diferenças entre cada tipo de disco, confira:

Discos Sólidos

Como o nome já diz, esse modelo de disco é sólido, composto por uma única peça, feita de ferro maciço. Apesar de ser mais barato do que os outros, o disco sólido não suporta muito bem situações extremas, de altas temperaturas. Por isso, são usados em aplicações mais leves, como sedãs e SUVs de médio porte.

Discos Ventilados

Diferente do sólido, o modelo ventilado possui dois disco finos, que são unidos por uma câmara interna, que permite a passagem do ar. Essa câmara faz com que a peça seja resfriada com mais rapidez e corra menos riscos de superaquecimento. Os discos ventilados são usados em carro compactos mais potentes e em modelos esportivos.

Discos Perfurados

Os discos perfurados são os mais indicados para os modelos de alto desempenho. Isso porque esse modelo, além de também ser ventilado, possui pequenos furos em todo o disco, o que ajuda a manter a temperatura ideal em todo o sistema de freio.

Esse modelo também é muito mais leve do que os outros, mas todas essas vantagens são descontadas no valor, que pode passar dos R$ 40 mil, o que faz com que, até nos carros de luxo, o disco perfurado seja oferecido como um opcional.

 

Até a próxima,

 

Equipe Dispemec.com

 


Conheça duas atitudes que desgastam o carro

placa personalizada

Quando o seu carro dá sinais de algum problema, o ato mais comum é levar no mecânico de sua confiança. Mas você já se perguntou se os defeitos podem estar sendo gerados por alguns dos seus hábitos no trânsito? Algumas atitudes podem afetar drasticamente o veículo e fazer com que ele se desgaste rapidamente. Esse é um dos motivos que alguns veículos novos apresentarem defeitos rapidamente. Confira duas atitudes que podem estar estragando o seu veículo.

Frear bruscamente

Sabe quando você está dirigindo e, de repente, percebe que tem um buraco na rua? Muitas pessoas se assustam e freiam rapidamente. É claro que passar em cima de um buraco pode danificar os pneus. Mas frear bruscamente pode ser mais agressivo ainda para o veículo.

Esse ato aumenta o impacto do buraco sobre a roda, que transmite o choque para a suspensão que automaticamente enrijece e se desgasta. Ou seja, em uma situação assim, o melhor a se fazer é diminuir lentamente a velocidade do veículo, sem frear. Pois isso prejudica mais o carro do que passar pelo buraco e ainda pode colocar a sua vida em risco.

Passar pela lombada com as rodas na diagonal

Não são só os buracos que assustam não! As lombadas, feitas para ajudar no controle da velocidade, podem se tornar perigosas dependendo da atitude do motorista. E o que alguns fazem é passar por essas elevações com as duas rodas da frente na diagonal.

Mas essa manobra acaba “torcendo” a carroceria e afetando os amortecedores, os rolamentos e o sistema de direção. O que significa que o carro pode ficar totalmente desregulado e irá dar gerar mais gastos. Ao avistar uma lombada e não conseguir diminuir a velocidade, continua com o veículo reto e passe as rodas de uma vez.

Até o próximo post,

 

Equipe Dispemec.com


Luz de freio sempre acesa: veja o que fazer

luz_freio

Sabe quando a luz de freio do carro não apaga nem a pau? Fica travada, acesa direto, seja antes, durante ou após a frenagem, e só apaga quando você desliga o carro?

Aí, você sai na rua com o veículo assim e complica a vida do motorista que vem atrás, deixando o condutor sem saber se você está freando ou não.

 

Pois é! Isso é bem comum e, na maioria dos casos, é super simples de solucionar. Confira:

 

 

Fusíveis e problemas elétricos

 

Pode ser que algum fusível esteja queimado ou algum cabo esteja mal colocado. Pode ser até mesmo que esses itens tenham vindo com defeitos de fábrica, que acabam travando a luz de freio. Nesses casos, a solução é realizar a troca do fusível ou religar os cabos elétricos.

Sensor molhado

 

Se você lavou o carro e incluiu o motor nessa limpeza, pode ser que um dos sensores da luz de freio tenha entrado na dança do chuveiro! E como qualquer parte elétrica que molha, começa a funcionar de maneira estranha e pode tanto manter a luz de freio acesa constantemente quanto apagada de vez.

 

Para solucionar isso, tente secar bem as peças separadamente. Depois, ligue novamente e teste. Se não funcionar, será melhor levar o carro a uma autoelétrica.

Pedal do freio e sensor

 

Essa é a causa mais comum e mais simples de ser resolvida!

O sensor, que fica na parte de cima do suporte do pedal que aciona a luz, pode estar fora do lugar. Ou o pedal do freio não encosta direito no sensor que ativa e desativa a luz.

 

Se esse for o caso, basta apertar o sensor e girar até encaixar, deixando a peça posicionada de um jeito que o pedal do freio encoste corretamente no sensor.

Agora, se você quiser saber um pouco mais sobre freios, veja o que a gente já falou aqui no blog da Dispemec sobre os tipos de freios e as diferenças que existem entre eles.

 

Confira também o nosso canal do Mecânica Fácil, no YouTube. Lá tem dicas de como solucionar os problemas de ruído no freio e vários outros assuntos bacanas sobre carros!

Um abraço e até o próximo post!

Dispemec.com

 


Imprevistos podem acontecer. Saiba evitá-los.

carro-atolado

Mesmo o mais prudente dos motoristas está sujeito a surpresas desagradáveis no caminho. Diante de imprevistos, é preciso agir com rapidez e manter a calma. Por isso, aqui nós selecionamos as situações mais difíceis que acontecem com frequência nas ruas, e damos as dicas para você se sair bem delas.

AQUAPLANAGEM

Com pista molhada, uma fina camada de água pode se formar entre os pneus e o solo, fazendo com que o carro perca a aderência e deslize sem nenhum controle. Leia mais…


Dicas para maior rendimento do seu carro.

poupa

É de extrema importância que a manutenção seja feita com certa frequência e de forma correta. Desta maneira, você deixará de passar estresse com o seu carro. Sabendo disso, separamos dez dicas para aumentar o rendimento do seu carro.

1 – Vela: É ela quem introduz a energia de ignição na câmara de combustão e inicia a queima da mistura ar/combustível. As velas devem ser trocadas rigorosamente nos prazos sugeridos pelas montadoras. O prazo é relativo ao modelo, mas varia entre 15 e 100 mil quilômetros. E quando uma estraga, o correto é trocar o jogo.

Leia mais…


Tipos de freio: Saiba manter o controle do seu carro em diversas situações.

Sem título

Um dos grandes trunfos de ser um bom motorista é saber usar o freio do carro. Já parou para pensar se você sabe frear corretamente na chuva? Em pista molhada?

Neste artigo, você vai saber mais sobre freios e aprender a se preparar para cada situação.

Existem dois tipos de freio no mercado automotivo, o freio a disco e o freio a tambor. No freio a disco, pastilhas de freio feitas com material de alta resistência ao calor e ao atrito são acionadas por mecanismos hidráulicos para fazer a parada do sistema móvel. Já no freio a tambor, sapatas alojam as lonas de freio, especialmente desenvolvidas para atrito e fricção e que, em contato com o tambor, forçam a parada. Leia mais…


Adaptações veiculares. Como funcionam?

carro_adaptado

Qualquer carro pode ser adaptado, desde os mais simples e acessíveis, até os mais caros e sofisticados. As adaptações também variam muito de preço, sofisticação e tecnologia.

Conheça os tipos de adaptações existentes e a forma correta para a utilização:

Volante – Pode ser utilizada uma espécie de alça para encaixe da mão ou, encaixes de dois ou três pinos, onde será encaixado o punho e/ou dedos. Um pomo giratório (espécie de bola achatada), também poderá ser utilizado. Todas estas adaptações são presas ao volante e giram sob seu próprio eixo, possibilitando todas as manobras.

  Leia mais…


Freios. A diferença entre os sistemas, hidráulico e o eletrônico.

freio

Existem dois tipos de freios presentes nos veículos, o freio a disco e o freio ABS (Sistema Antibloqueio de Frenagem). Ambos possuem pastilhas, que na hora do acionamento travam o disco de rodas, fazendo com que o carro pare.

A diferença entre os dois está no bombeamento do fluido das pastilhas. O freio a disco provoca a derrapagem do veículo, pois as rodas travam completamente. No sistema ABS, a roda não é bloqueada o motorista pisa no freio do automóvel e ele para aos poucos. Dessa forma, o carro não derrapa; a aderência com a pista é maior mesmo em dias de chuva. Leia mais…