Quem procura autopeças encontra o que precisa na DISPEMEC

Há mais de 29 anos a DISPEMEC atende às necessidades de clientes que não abrem mão de qualidade, praticidade e segurança na hora de comprar autopeças.

Acesse agora

Posts para » direção

Revisão dos fluidos: entenda a importância

blog dispemec

Fazer a revisão, antes de um passeio longo ou uma viagem em família, é essencial. Mas, além das peças, você sabia que os fluidos também precisam ser verificados?

Eles possuem a importante função de lubrificar, limpar e proteger peças mecânicas. Sem eles, os itens metálicos se desgastam facilmente e tem uma vida útil menor.

Saiba quais são os fluidos que precisam ser checados antes de colocar o carro na estrada:

Óleo do motor

Esse fluido merece uma atenção especial, já que o motor possui o sistema mais complexo do veículo. O óleo tem o objetivo de lubrificar e refrigerar a parte interna, que chega à altas temperaturas, devido a queima do combustível.

Se o óleo está sujo ou se já passou a data de troca, o seu carro pode apresentar falhas como: dificuldade de partida, perda de potência, superaquecimento, entre outros. Se esses problemas se agravarem, você pode até perder o motor. A recomendação é que a troca seja feita a cada 10 mil km rodados, mas pode ser feita antes, caso haja necessidade.

Fluidos do radiador

O radiador é responsável por refrigerar o motor, já que a queima de combustível faz com que ele chegue a uma temperatura maior que 100ºC. E isso só é possível graças ao fluido, que é composto por 50% de aditivo e 50% de água.

A falta desse líquido faz com que as peças do motor acumulem ferrugem e até apresentem corrosão, por conta do atrito. O aditivo para radiador e a água precisam ser trocados a cada 10 mil km rodados ou se o sistema apresentar superaquecimentos.

Óleo de direção

Esse fluido alivia o peso do volante e preserva todo o sistema da direção hidráulica. Ele faz com que a direção responda, com eficiência, aos comandos do motorista. O óleo de direção deve ser trocado entre 35 mil e 50 mil km rodados ou após dois anos de uso do carro.

Você também deve ficar atendo aos sinais, problemas com esse fluido podem causar ruídos e danificar as engrenagens da direção e do câmbio. A revisão desse item também é necessária, pelo fato dele ser inflamável e prejudicial a saúde dos motoristas e passageiros.

Limpador de para-brisas

Muitas pessoas acham que o líquido para limpar o para-brisas pode ser substituído por produtos de limpeza comuns. A verdade é que detergentes domésticos, ou qualquer produto que não seja próprio, podem escorrer pela carroceria e danificar a pintura do carro.

Além de limpar, esse fluido é responsável pela hidratação das borrachas das palhetas, para que não arranhem nem embacem o vidro do carro .

Agora que você já sabe a importância dos fluidos, peça para o mecânico verificar todos durante a revisão e garanta uma viagem feliz e segura!

 

Até a próxima,

 

Equipe Dispemec.com

 


Carro novo também precisa de revisão antes de cair na estrada

revisão do carro

O carnaval chegou e são em feriados como esse que as pessoas costumam colocar o carro na estrada. Mas mesmo que o seu veículo seja novo, é preciso fazer uma revisão antes de qualquer viagem. Assim, você garante uma vida útil maior para as peças automotivas e, é claro, a segurança de todos os passageiros.

É recomendável fazer a revisão do seu automóvel sempre a cada seis meses ou a cada 10 mil quilômetros rodados, o que acontecer primeiro. Mas no caso de grandes viagens, é sempre uma boa ideia verificar itens básicos e, com isso, garantir a segurança da sua família.

Uma revisão completa deve abranger todos os sistemas do carro, como motor, embreagem, câmbios, bateria, pneus, entre outros. Se o carro for novo e com pouco uso, não é necessário fazer uma revisão tão completa. Basta levar o carro para o seu mecânico de confiança e pedir para verificar os itens mais exigidos durante uma viagem.

Pode parecer exagero, mas é preciso entender que estrada é coisa séria. Com a alta velocidade, o motor é muito requisitado e por isso ele, e todas as peças do carro, precisam estar funcionando perfeitamente para casos como uma ultrapassagem inesperada, uma chuva muito forte ou qualquer outra surpresa desagradável. O carro precisa estar preparado para estes cenários, assim como o próprio motorista.

O ideal é realizar essa revisão um mês antes de viajar, justamente para ter certeza de que o automóvel está com tudo em dia e que a revisão valeu a pena. Peça para o seu mecânico verificar como está a suspensão, os freios, como está a parte elétrica (garantindo que todas as luzes funcionem corretamente), etc. Explique que você está indo viajar e peça para ele verificar as peças mais exigidas. Com isso, você garante uma viagem tranquila e sem sustos.

 

Até o próximo post,

 

Equipe Dispemec.com


A importância do controle eletrônico de estabilidade

controle eletrônico de estabilidade

Os acidentes automobilísticos geram prejuízo para o motorista e para os passageiros. Além dos reparos no veículo – ou até a perda total dele – os acidentes são uma das maiores causas de morte no país. E para ajudar na prevenção dessa terrível situação, foi inventado a tecnologia do controle eletrônico de estabilidade, também conhecido pela sigla ESC (Electronic Stability Control).

O ESC é responsável por deixar o carro estável em curvas mais fechadas, desvios e pistas escorregadias. Esse item é um módulo eletrônico que funciona a partir de sensores, que calculam a velocidade das rodas durante o trajeto, a inclinação da direção e os ângulos dos eixos do veículo. Ao detectar uma variação anormal entre as rodas e a direção, o sistema é acionado automaticamente.

De acordo com pesquisas feitas pelo Instituto de Segurança Viária dos Estados Unidos, em 2006, o sistema é capaz de reduzir cerca de 43% dos acidentes fatais. Mas para essa prevenção funcionar corretamente, a revisão do carro deve estar em dia. Se o pneu já perdeu a aderência, por exemplo, ficará muito mais difícil não deixá-lo derrapar em uma pista molhada.

O controle de estabilidade não é universal, ou seja, não pode ser colocado em qualquer carro. A instalação e configuração dos sistemas devem ser feitas pelas montadoras responsáveis, assim o procedimento receberá a garantir a segurança necessária. O ESC ainda não é obrigatório no país, mas o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) aprovou, no dia 16 de dezembro de 2016, a obrigatoriedade do sistema em todos os veículos a partir de 2020.

É importante lembrar que mesmo se o seu veículo possui o controle eletrônico de estabilidade, os cuidados básicos ainda precisam ser tomados. Afinal é só mais uma proteção, assim como airbag e não uma garantia de que não haverá acidentes.

Um abraço e até o próximo post,

 

Equipe Dispemec.com


Cuidados na hora do alinhamento.

alinhamento

Segurança e economia são essenciais quando o assunto é carro. O alinhamento tem a missão de deixar o volante centrado e as rodas paralelas entre si em relação ao centro do carro, de forma que a banda de rodagem dos pneus toque o solo de modo uniforme na trajetória do veículo.

Isso proporciona economia de combustível e evita desgastes excessivos e anormais de três componentes:

– Amortecedores;

– Molas;

– Pneus.

Os especialistas recomendam conferir o alinhamento a cada 10.000 km ou no caso de acontecer algum incidente que possa causar danos no veículo, como quando o carro encara um buraco mais profundo.

  Leia mais…


Imprevistos podem acontecer. Saiba evitá-los.

carro-atolado

Mesmo o mais prudente dos motoristas está sujeito a surpresas desagradáveis no caminho. Diante de imprevistos, é preciso agir com rapidez e manter a calma. Por isso, aqui nós selecionamos as situações mais difíceis que acontecem com frequência nas ruas, e damos as dicas para você se sair bem delas.

AQUAPLANAGEM

Com pista molhada, uma fina camada de água pode se formar entre os pneus e o solo, fazendo com que o carro perca a aderência e deslize sem nenhum controle. Leia mais…