Quem procura autopeças encontra o que precisa na DISPEMEC

Há mais de 29 anos a DISPEMEC atende às necessidades de clientes que não abrem mão de qualidade, praticidade e segurança na hora de comprar autopeças.

Acesse agora

Posts para » combustível

Por que o motor flex faz mais ruído com álcool?

Dispemec motor flex

Donos de carros flex já devem ter observado: quando abastecem com gasolina, o carro funciona de maneira mais fluida, sem ruídos. Já quando o abastecimento acontece com álcool, a história é outra: o motor fica mais ruidoso e não funciona tão suavemente. Mas por que isso acontece? Estaria o etanol estragando o motor?

Na verdade não. Os carros flex estão totalmente preparados para receber tanto o etanol quanto a gasolina, por isso o uso de qualquer um dos dois é totalmente seguro.

A questão do ruído acontece pela natureza do combustível. A gasolina é naturalmente mais oleosa, por ser um produto derivado do petróleo. Já o etanol, que tem origem vegetal, é uma solução com menos viscosidade.

Na linguagem popular, a gasolina é classificada como “oleosa”, enquanto o álcool é “seco”.

Por ser menos lubrificante, quando é usado o etanol, existe mais atrito entre os componentes móveis do motor. Isso causa um nível maior de ruído e vibração.

O tipo de combustível, porém, não é o único fator que influencia no funcionamento do motor. O uso de aditivos, tanto para a gasolina quanto para o etanol, aumenta seu poder lubrificante. Tecnologias anti-atrito também auxiliam na diminuição da vibração e barulho.


Saiba quando fazer a limpeza do bico injetor

bicos injetores

A limpeza dos bicos injetores é um assunto que gera muita dúvida entre os motoristas. Isso acontece porque as válvulas injetoras são autolimpantes e o próprio combustível faz a limpeza interna da peça. Mas nem sempre sabemos a qualidade da gasolina que está indo para o motor, o que pode comprometer a “saúde” do carro.

Combustíveis adulterados são os maiores responsáveis pelo acúmulo de sujeira na ponta do bico injetor. Muitas misturas químicas, feitas para aumentar o volume da gasolina, são prejudiciais para o sistema do veículo e possuem componentes que ficam presos na válvula injetora, causando falhas no funcionamento do motor. Nesse caso, a limpeza pode ser necessária, mas antes é preciso que o mecânico faça os testes para saber se aquele realmente é o problema.

A verificação do bico começa com um teste de resistência, para comprovar  se está mesmo com problema. Se a peça realmente estiver suja, o próximo passo é fazer a limpeza por ultrassom, etapa que adiciona produtos específicos, que irão limpar sem estragar o carro e logo após é feito o teste de estanqueidade, que checa se não há nenhum vazamento. Depois é feito o teste leque – ou teste de jato – que analisa a pulverização do combustível e por último, é realizado o teste de equalização, que é responsável por medir a velocidade que a válvula injetora abre e fecha.

Caso a sujeira esteja acumulada há muito tempo, limpar pode não ser a melhor opção, mas sim, trocar a peça. Após um longo período, a peça é forçada a funcionar e acaba  sendo danificada. O diagnóstico  deve sempre ser feito por um profissional, pois se uma peça que está quebrada for limpa e recolocada no carro, o motor pode ser rapidamente comprometido. Então, fique atento ao combustível que você está colocando no seu carro.

 

Um abraço e até o próximo post.

 

Equipe Dispemec.com


Sonda lambda: o que é e como funciona

blog_dispemec_031_sondalambda

Você já ouviu falar da sonda lambda? Peça importantíssima do carro, a sonda lambda, na verdade, é um sensor que fica  no escapamento do carro e serve para medir a quantidade de oxigênio restante da queima de combustível. Ela é muito importante porque existe uma quantidade ideal de oxigênio e combustível para o seu carro funcionar na sua melhor performance.

Relação ideal entre oxigênio e combustível

Gasolina: 14,7 partes de ar para 01 de gasolina

Álcool: 9 partes de ar para 01 de álcool

Diesel: 15,2 partes de ar para 01 de Diesel

Se o nível de oxigênio estiver acima do indicado na tabela para cada tipo de combustível, dizemos que a mistura está pobre. A sonda, então, manda um sinal para o módulo que vai enriquecer a mistura, ou seja, enviar mais combustível.

Por outro lado, se o nível de oxigênio estiver abaixo do indicado na tabela, dizemos que a mistura está muito rica. Essa informação vai para o módulo e então ele manda menos combustível para a queima, até chegar no ponto ideal.

Um problema comum é a sonda lambda indicar algum problema que não necessariamente indique que a própria sonda está com defeito. Na verdade, a sonda fica no final de uma cadeia da qual participam diversas peças e sensores. Se um desses sensores apresentar algum defeito, a sonda vai indicar que o processo está apresentando problema. Infelizmente, alguns mecânicos detectam essa informação e já mandam trocar a sonda, quando na verdade é uma outra parte do motor que está apresentando problemas. Fique atento para isso não acontecer com você! Antes de trocar a sonda é preciso fazer um diagnóstico completo no motor, pois essa alteração pode vir de outros sensores ou até mesmo indicar que o combustível utilizado é de má qualidade.

Quer saber mais sobre a sonda lambda? Confira nos vídeos do Mecânica Fácil!

 

Até o próximo post!

Equipe Dispemec.com


13 itens do carro para verificar antes de viajar

revisao_feriado

Oba! Este ano a lista de feriados tá boa! Dá pra todo mundo programar as viagens com a família e passeios mais longos.

Mas antes de colocar o pé na estrada, é importante checar uma outra lista: a da manutenção do veículo! Afinal, ninguém quer passar por perrengues durante os dias de folga, não é mesmo?

Pensando nisso, fizemos este check-list com os 13 itens do carro que você deve verificar antes de viajar.

 

Pode pegar, copiar, compartilhar estas dicas…. É pra facilitar a vida de todo mundo.

1. Documento do carro e do motorista

Ok. Documento não é peça do carro, mas nenhum veículo pode circular por aí sem documento ou com o licenciamento e seguro obrigatório vencidos.

Então, por favor, certifique-se de que está levando o documento do carro e a sua habilitação. Ah, e não vá viajar com a habilitação vencida, hein?!

2. Pneus

Veja se os pneus não estão carecas e se a calibragem está correta. Não se esqueça do estepe. Vai que você precisa dele!

 

3. Freios

Os freios e o fluído também devem ser checados. Pedal duro e trepidações são sinais de que algo não está de acordo.

4. Faróis e lâmpadas

Todos os faróis, setas e a luz de freio devem estar funcionando. Caso contrário, como você vai sinalizar as manobras e evitar colisões?

5. Limpador de para-brisa

Verifique as lâminas, as borrachas e o reservatório de água do para-brisa. Se chover e esses itens não estiverem funcionando, com certeza a sua viagem vai se tornar uma leve dor de cabeça.

6. Itens obrigatórios

Macaco, extintor de incêndio e triângulo não devem sair do seu carro, concorda? A não ser que o prazo de validade do extintor esteja vencido. Aí, é hora de trocar e recolocar no lugar.

7. Combustível e óleo

Viajar com o combustível na reserva? Jamais! Abasteça o suficiente para não correr o risco de parar na estrada. Verifique também o nível de óleo e, se for o caso, troque-o conforme o indicado do manual do veículo.

8. Filtro de ar

O filtro de ar e o óleo devem ser trocados ao mesmo tempo para não diminuir a vida útil do lubrificante.

 

9. Velas e cabos

Estar com as revisões do carro em dia garante que esses itens sejam trocados no tempo certo. As velas, por exemplo, devem ser examinadas a cada 10 mil km rodados e os cabos, a cada 50 mil km.

10. Amortecedores

Os amortecedores e todos os itens do sistema da suspensão – buchas, molas, bandejas – também merecem uma inspeção mais minuciosa antes da viagem.

11. Correia dentada

Essa peça deve ser trocada em média a cada 50 mil km rodados. Mas dependendo do quanto você usa o carro, é bom verificar a correia dentada a cada 15 mil km, quando podem aparecer desgastes.

12. Radiador

Lembre-se de pedir pro seu mecânico que confira o funcionamento do radiador, da bomba d’água, da ventoinha e da válvula termostática.

13. Alinhamento e balanceamento

Como já dissemos antes neste link, o carro desalinhado perde a estabilidade e pode ocasionar acidentes. E a falta de balanceamento compromete o controle que o motorista tem sob o carro. Portanto, são itens que não podem ser esquecidos.

Use essa listinha pra facilitar a sua vida antes de qualquer viagem, mesmo das mais rápidas, nos finais de semana! 😉

Até a próxima!

Equipe Dispemec.com


Selo do Inmetro nos carros, pra que serve?

inmetro veicular

Selo do Inmetro em carros! Isso mesmo, hoje, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia faz diversos testes nos veículos. No último ranking, o Brasil teve 583 modelos qualificados.

 A adesão é voluntária e algumas montadoras optam por não solicitar. Outras, até tem os modelos inscritos, mas não fixam o selo nos veículos, por não ser obrigatório. Só que as montadoras devem levar em consideração que o consumidor atual é preocupado com o consumo de combustível e isso pode interferir na hora da compra daquele carro novo.

 O Inmetro testa e qualifica os quesitos de consumo de combustível e emissão de poluentes numa escala de A à E, em que A é a melhor qualificação e E é a pior. Os testes são realizados com o carro tanto na cidade como na estrada.

Em carros flex, os testes servem para ambos os tipos de combustíveis. Por exemplo, o Volkswagen UP 1.0, eleito um dos mais econômicos, faz 13,5 km/l na cidade e 14,6 km/l na estrada, usando gasolina. Com etanol, faz 9,2 km/l na cidade e 10,2 km/l na estrada.

Os carros mais econômicos são classificados pelo Inmetro na categoria A e levam o selo verde do PBEV – Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular.

A certificação é uma verdadeira mão na roda para quem está comprando. Assim dá pra saber, de fato, quais são os carros mais econômicos e menos poluentes.

Caso o modelo de sua escolha estiver sem este selo, você pode verificar no manual do carro. Se ele passou pelo teste do Inmetro, os resultados estarão lá!

Por hoje é isso, pessoal!

Um abraço!

Equipe Dispemec


Cálculo pra saber se a gasolina do seu carro tem a porcentagem permitida de álcool misturado

gasolina III

A qualidade da gasolina que você coloca no seu carro é coisa séria!
Combustível fora das especificações misturado com outros componetes pra “render mais”  pode trazer vários prejuízos pro seu carro, como aumento do consumo e encurtamento do prazo de manutenção.

A bandeira do posto onde você abastece ajuda bastante a te dar a confiança mas, como é de conhecimento dos mecânicos que pegam as “buchas” pra arrumar, o posto é o reflexo do dono.

Procure sempre um posto com procedência e com controle de qualidade rígido.
Mesmo assim, sempre fique de olho!
E pra te ajudar a ficar alerta,  postamos um vídeo no Mecânica Fácil (clique AQUI pra assistir) mostrando como você pode fazer um teste bem simples em casa.

Importante:
Pra ter embasamento nas contas que vamos passar a seguir, o limite hoje, em Maio de 2014, é de 25% de álcool na gasolina.

  Leia mais…


Cuidados na hora do alinhamento.

alinhamento

Segurança e economia são essenciais quando o assunto é carro. O alinhamento tem a missão de deixar o volante centrado e as rodas paralelas entre si em relação ao centro do carro, de forma que a banda de rodagem dos pneus toque o solo de modo uniforme na trajetória do veículo.

Isso proporciona economia de combustível e evita desgastes excessivos e anormais de três componentes:

– Amortecedores;

– Molas;

– Pneus.

Os especialistas recomendam conferir o alinhamento a cada 10.000 km ou no caso de acontecer algum incidente que possa causar danos no veículo, como quando o carro encara um buraco mais profundo.

  Leia mais…


Prolongue a vida do seu carro, fique longe dos vícios.

carros_vida_longa

Se no passado os carros ferviam ao menor sinal de congestionamento, hoje eles rodam milhares de quilômetros sem apresentar grandes problemas.

Mas um fato ainda não mudou por completo: a forma de dirigir afeta diretamente a durabilidade do veículo e os custos de manutenção.

Conheça os sete pecados que você pode cometer ao volante, sem perceber, e que podem causar desde um leve desperdício de combustível até uma quebra de câmbio automático.

  Leia mais…


Dicas simples pra não errar na escolha de um carro usado

feirao-carro

Fique esperto: se a sua garagem está tão vazia quanto o seu bolso e você quer mudar essa situação, a matemática é relativamente simples. Trouxemos algumas dicas que te darão boas chances de uma boa compra.

 1º – Planeje-se

 Antes mesmo de começar a procurar busque colocar no papel o que você quer (marca, modelo, segmento, ano, valor, cor, etc.) e nem pare para olhar opções que fujam do que você listou. Financeiramente, saiba quanto você tem para dar de entrada (caso não compre à vista) e não se esqueça de deixar um dinheiro reserva para documentação, combustível, seguro ou alguma manutenção mais simples.

Leia mais…


Hábito de deixar tanque na reserva pode causar prejuízo

tanque-na-reserva

Muitos motoristas têm o hábito de abastecer em pequenas quantidades e deixam o tanque do carro na reserva com frequência. Saiba que essa prática, pode causar danos e trazer prejuízos ao seu bolso.

Os motivos variam, geralmente, entre: o alto preço do combustível, esquecimentos ou costume de sempre colocar gasolina/álcool de pouco em pouco.

Muitos motoristas deixam o carro andar com a luz da reserva acesa ou com nível muito baixo. O problema é que, com o tanque mais vazio, aquelas sujeiras que causam danos ao motor, acumulam-se com mais facilidade. Leia mais…